Notícias - MedSênior

Isolamento social: como evitar a ansiedade nesse período?


O isolamento social, uma das principais medidas de combate à expansão do novo coronavírus, tem sido um desafio. Para as pessoas que sofrem com ansiedade, essa dificuldade torna-se ainda maior. Isso porque, além da pandemia gerar medo e incerteza - já que não há total conhecimento sobre a doença - o isolamento social tende a aumentar os pensamentos negativos, como a angústia. Neste post, nós, do MedSênior separamos algumas dicas para evitar a ansiedade durante a quarentena. Veja!

 

Por que o isolamento social tende a gerar ansiedade?  

 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2019, 9,3% da população brasileira sofre de ansiedade - o País que tem tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo. A psicóloga do MedSênior Ana Carolina Barbieri explica que para esses indivíduos, o isolamento social pode ser extremamente prejudicial, uma vez que eleva os níveis de estresse, a inquietação e os pensamentos negativos. 

 

“A mudança de rotina, somada a um momento de incertezas, colabora com a exaltação de emoções negativas, como angústia, medo e frustração. Quando a realidade ‘segura’ e estável da pessoa ansiosa é submetida a toda essa mudança que o coronavírus trouxe, é normal que ela se sinta ainda mais insegura, o que contribui para gerar as crises de ansiedade”, completa.

 

Vale ressaltar também que a ansiedade durante o isolamento social acomete não apenas quem já sofria com o problema, como pode dar o “start” para a primeira crise. A revista East Asian Arch Psychiatry comprova esse fato e revela que entre 2002 e 2003 - quando o coronavírus causador da Sars matou 800 pessoas no mundo - 42% dos sobreviventes desenvolveram algum tipo de transtorno mental. Mais da metade deles sofreram com o transtorno de estresse pós-traumático.

 

O que fazer para evitar a ansiedade na quarentena?

 

Seguir as medidas preventivas da COVID-19, como a higienização e o isolamento social, para evitar o avanço da doença é fundamental, mas a saúde mental também merece muita atenção neste momento. A psicóloga conta que esse é um excelente momento para se conhecer melhor, aprender coisas novas e colocar em prática os planos que estavam apenas no papel. Ela aproveita para destacar também que tentar enxergar o lado positivo torna esse período muito mais tranquilo.

 

“Algumas dicas para manter o emocional saudável na quarentena são: checar a credibilidade e confiabilidade das notícias, para evitar as Fake News, e controlar esse consumo para que não se torne excessivo; manter-se conectado com a família e amigos (chamada de vídeo é um ótimo recurso para isso) e buscar se manter ocupado - procurar um hobby novo, por exemplo, pode ajudar”, finaliza.

 

Cuide-se!

 

Aproveite para conferir outros conteúdos que podem te interessar:

 

Como melhorar a imunidade com ajuda dos alimentos

 

Dicas essenciais para a prevenção do coronavírus

 

Fonte: Psicóloga Ana Carolina Barbieri Lima / CRP 16/6571

 
foto